"É claro que treinar é importante, mas quando você tiver a minha idade, você não poderá treinar a menos que o seu corpo aguente. Eu simplesmente não tenho palavras para explicar a importância da alimentação vegana para minha performance."

Mike  Fremont, 91 anos, maratonista vegano.

Mike se tornou vegano aos 70 anos para combater um câncer e colecionou vitórias. Ele tem 91 anos, não toma nenhum medicamento, bate recordes em maratonas e pratica canoagem. Desde 1992 ele não consome nada de origem animal (carnes, peixes, laticínios ou ovos.)

Pelas pessoas...

Por muitos anos, graças à precariedade de informações, acreditou-se que a alimentação humana exigia o consumo de produtos de origem animal, principalmente a carne. Nunca antes a ciência da nutrição foi tão capaz de responder à pergunta "de onde obtemos proteína?" com tanta propriedade. Assim, é de extrema importância que essa questão seja esclarecida com sensatez, informação científica e sensibilidade. 

              

Nos últimos 15 anos a ciência tem evoluído de um modelo de pensamento baseado na cura para um modelo baseado na prevenção. Muitos estudos e pesquisas foram feitos no sentido de encontrar as causas e origens das diversas doenças que assolam a humanidade, assim como porque algumas doenças se mostram mais presentes em determinadas regiões do planeta enquanto em outras ela é inexistente. Assim, a ciência chegou à assustadora revelação, por exemplo, sobre a influência agravante do consumo de leite e derivados nos casos de osteoporose, explicando, assim, porque essa doença é mais presente nos países onde o consumo desse produto é maior. 

 

Dessa forma, hoje a maior preocupação é com a informação. Na medida em que toda a estrutura econômica da sociedade foi alicerçada sobre o consumo de produtos derivados do assassinato de animais, é de se esperar que informações tais como as apresentadas aqui não sejam divulgadas com veemência. Assim desenvolvemos este veículo de informação pois acreditamos que você tem o direito de saber a verdade.

 

Por essa razão, em países nos quais uma maior parcela da população possui acesso às informações e à educação, essa realidade é muito diferente. E por essa razão o movimento vegano cresce exponencialmente no mundo, com milhares de pessoas aderindo à causa todos os dias a partir do momento em que as informações vencem a barreira do lobby político e financeiro e são divulgadas.

 

Nos EUA, por exemplo, nação que concentra a maior população vegana do mundo, o PCRM (Physicians Committee for Responsible Medicine - Comitê de Médicos pela Medicina Responsável), organização não-governamental de enorme influência política, anunciou em Junho de 2010 que "pessoas que evitam carnes e derivados têm um risco muito menor de problemas de saúde, e aqueles que também evitam produtos lácteos e ovos (veganos) são os mais saudáveis de todos. As dietas vegetarianas e veganas podem cortar dramaticamente os riscos de obesidade, diabetes e outros problemas"  (link). O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) também anunciou no mesmo ano que "as dietas vegetarianas e veganas atendem todas as recomendações nutricionais."

Na mesma linha de atuação a Associação Dietética Americana, maior associação de nutricionistas do mundo anunciou no mesmo ano que "as dietas vegetarianas ou veganas corretamente planejadas são saudáveis, adequadas em termos nutricionais e trazem benefícios para a saúde na prevenção e tratamento de diversas doenças." (link)

               

No Brasil, o CRN-3 (Conselho Regional de Nutrição) em Janeiro de 2012, 2 anos após o anúncio do órgão norte-americano lançou um parecer oficial onde afirma: "Todos os tipos de dietas vegetarianas, incluindo a dieta vegetariana estrita, utilizada por veganos e que exclui todos os produtos e ingredientes de origem animal, são viáveis sob o ponto de vista nutricional. (...) As dietas vegetarianas podem promover o crescimento, desenvolvimento e manutenção adequados e podem ser adotadas em qualquer ciclo de vida." 

 

E como você pode ver nas imagens ao lado, a dieta vegana livre da crueldade com animais também é capaz de suprir as necessidades nutricionais de atletas profissionais de elite. Seria possível que esses atletas tivessem todo esse desempenho físico se a dieta vegana fosse "inadequada" à fisiologia humana?

 

Assim, com todo esse suporte científico, comprovamos que a dieta vegana apenas traz benefícios à saúde humana.

 

 

Gostaria de obter mais orientações? Leia mais sobre a relação do veganismo com outros assuntos de interesse. 

        

Ainda está preocupado com sua alimentação? Clique aqui e encontre nutricionistas da região capacitados e atualizados com as novas descobertas científicas.

Carl Lewis, vegano, é um dos maiores nomes da história do atletismo mundial. Ele diz:  "meu melhor ano como competidor foi quando eu comecei minha dieta vegana." 

Patrik Baboumian, vegano, é recordista mundial em levantamento de peso e vencedor do prêmio de homem mais forte do mundo em 2013.

Venus Williams, vegana, vencedora de 7 Grand Slams e ex-número 1 do tennis. 

Veja o que mais o veganismo pode fazer: 

 - Pelos animais.

 - Pelo planeta.

© 2013 by Tacc Webdesigners.